ACTC - Casa do Coração

Notícias

20/04/2018

DR. RESPONDE - Minha filha tem 3 meses e tem o sopro no coração, que se manifestou na segunda semana de vida. Estamos acompanhando o fechamento. No início era de 4,5mm, agora, depois de 2 meses, está com 3,5mm. Gostaria de saber quanto tempo vai demorar p

Formação do coração e causas dos defeitos cardíacos durante a gestação
 O coração é formado nos três primeiros meses da gestação e nutre o corpo todo do feto até o final dos 9 meses. Nesse período se desenvolvem os defeitos cardíacos, geralmente por algum distúrbio genético. Mas, também por causas externas como infecção materna, uso de medicamentos neste período inicial da gravidez, radiação materna por algum motivo, doenças maternas como auto-imunes pertencentes à alteração do tecido conjuntivo como o Lupus eritematoso, artrite reumatóide e outras causas menos significantes.

Defeitos que se exteriorizam por sopro cardíaco, após o nascimento
As malformações cardíacas diagnosticadas por presença precoce de um sopro cardíaco, sem outras manifestações como insuficiência cardíaca ou hipóxia, decorrem de comunicações entre as cavidades e as artérias, além de defeitos das valvas cardíacas. Nos primeiros, elas correspondem à comunicação interatrial, interventricular ou ao canal arterial persistente. Nos outros elas decorrem de alterações em nível valvar como estenoses ou insuficiências das valvas aórtica, pulmonar, mitral e tricúspide. Para completar, cito a coartação da aorta, com sopro cardíaco mais discreto que nos demais defeitos considerados.

Diagnóstico dos defeitos cardíacos durante a gravidez
Todos esses defeitos podem ser diagnosticados durante a gravidez, exceção feita à comunicação interatrial e ao canal arterial, pois se constituem em formações indispensáveis durante a gravidez para o devido funcionamento da circulação geral do feto. A comunicação interatrial no fluxo de sangue provém da veia cava inferior, em direção ao átrio esquerdo e circulação sistêmica e o canal arterial para o desague do sangue das artérias pulmonares para a aorta, em face da inoperância dos pulmões neste período.

Defeitos que se fecham espontaneamente após o nascimento
Os defeitos cardíacos que sabidamente se fecham com o passar do tempo são os representados pelas comunicações entre as cavidades cardíacas como a comunicação interatrial e interventricular e, ainda, entre as duas artérias a aorta e a pulmonar, o canal arterial. Os demais tendem a persistir ou aumentar a repercussão do defeito.
Nesse contexto, pode-se afirmar que as comunicações menores são as que podem se fechar com maior facilidade e até em menor período de tempo. Quanto menor for o defeito, maior será a oportunidade de seu fechamento espontâneo.

Diâmetro dos defeitos suscetíveis ao fechamento espontâneo e a época de ocorrência
No que respeita ao diâmetro de abertura dos defeitos, tem-se como norma estabelecer que, na comunicação interatrial, ela é menor que 5 mm; na comunicação interventricular menor que 3 a 4 mm e no canal arterial menor que 2 mm. Em defeitos maiores pode haver fechamento espontâneo, mas mais raramente.
A época do fechamento espontâneo geralmente é precoce nos primeiros meses de vida, estendendo-se até os 2 anos de idade. A partir dessa idade, ainda se identifica fechamento desses defeitos, porém mais raramente.

Voltar
Telefones (0**11) 3088-2286 / 3085-0624 / 3898-1406
ACTC - Casa do Coração
  • Associação de Assistência à Criança e ao Adolescente Cardíacos e os Transplantados do Coração
  • Sede: Rua Oscar Freira, 1.463 - Pinheiros - 05409-010 - São Paulo - SP
  • Telefax (11) 3088-2286 - 3088-7454
  • Unidade II: Rua Oscar Freire, 2.136 - Pinheiros - 05409-011 - São Paulo - SP
  • Telefax (11) 3062-7307
  • actc@actc.org.br - www.actc.org.br
Agência Levitron

Copyright © 2015 - Associação de Assistência à Criança e ao Adolescente Cardíacos e aos Transplantados do Coração | ACTC - Casa do Coração